Pão sua história e suas tradições

Pão sua história e suas tradições

- in São Bento do Sul
2908
Comentários desativados em Pão sua história e suas tradições

Pão sua historia e suas tradições

Criado o Dia do Pão, afinal é ele que está em nossa mesa diariamente

Pão francês, pão rústico, bengala, filão, pão caseiro, pão de cereais, ciabatta, bisnaguinha, pão sírio, pão doce, pão australiano, pão de forma, pão italiano, pão integral… O pão é um dos alimentos mais tradicionais em todo o mundo. Para homenagear essa iguaria tão variada, tão popular e tão consumida, foi criado o Dia Mundial do Pão, celebrado no último dia 16. O dia foi instituído em 2000, em Nova York, pela União dos Padeiros e Confeiteiros.

O padeiro Josnei Zeithammer, 30 anos, trabalha há 13.anos, na Padaria Serra Alta. Muitas pessoas já degustaram o pão feito por ele. Quando a reportagem do Jornal chegou mais uma remessa de pão estava saindo, com aquele cheiro de pão fresquinho, uma delicia só. Josnei para deixar a produção em dia começa às 4 horas da manhã, mas acorda já a 3 da manhã para seguir ao trabalho. “Eu gosto muito do que faço, dai o pão fica melhor” revela.

Segundo Josnei diariamente são mil pães, de segunda a sexta, mais aos sábados a produção dobra. O pão francês é o mais procurado.

Também atuando na Panificadora Serra Alta, Arildo Rosá, é responsável por entregar o pão nos principais pontos. “Fizemos todo o possível para levar o pão ainda quentinho para nossos clientes”, revela Arildo.

A história do Pão

A história do pão é antiga. Ele teria surgido há mais de 6 mil anos, quando os egípcios descobriram a fermentação do trigo. Ali ele era considerado um alimento básico e era um símbolo de poder. Os pães preparados com trigo de qualidade superior eram destinados apenas aos ricos. Os egípcios se dedicavam tanto ao pão que se tornaram conhecidos como “comedores de pão”.

“É importante lembrar da importância que o pão tem para a humanidade. Desde os primórdios, os grãos eram consumidos de forma bruta, comidos crus. Posteriormente, alguns historiadores falam que, por acidente, os pães – que eram formados numa pasta mascada na boca, pasta essa feita de mingau – caíram em cima de uma pedra quente, em uma fogueira e, a partir dali, se gerou uma massa assada”, conta o especialista e historiados sobre pão, Augusto Cezar de Almeida, em entrevista à Agência Brasil.

.

70 mil padarias no Brasil

No ano passado, havia em todo o país 70.523 padarias, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip). Mais de 14 mil delas estavam localizadas no estado de São Paulo. A maior parte dessas padarias, cerca de 95% do total, são micro e pequenas empresas familiares.

A primeira delas pode ter surgido no Rio de Janeiro. Ou em São Vicente, no litoral paulista. Mas há poucos dados ou registros sobre isso. Com isso, a padaria que ficou conhecida como a mais antiga do Brasil é a Santa Tereza, localizada na região da Praça da Sé, em São Paulo. A Santa Tereza foi fundada em 1872.

“Debret [1768-1848], um [pintor e desenhista] francês que veio junto com a Família Real, fez uma série de ilustrações que falaram sobre algumas características da época. E uma das gravuras que ele faz é de uma padaria onde a moagem do trigo era feita dentro dela. Ali se moía e se fazia a farinha. A narrativa do Debret fala ainda que os pães feitos pelos franceses no Rio de Janeiro não eram iguais aos da França”, contou o historiador. “A França historicamente tem pães de uma casca mais grossa, feito com fermentação mais longa. São pães mais compactos. No Brasil, já tivemos o período dos filões, com densidade maior, mais pesados; e das baguetes, que eram pães mais parecidos com os da França. Porém não tinham os mesmos componentes e nem o tipo de fermentação que era feito lá na França”.

“As padarias, no passado, eram consideradas indústrias na cidade. Elas fabricavam biscoito, bolachas, vários produtos que eram vendidos para outras regiões próximas. Bolachas e biscoitos são produtos que não se estragam facilmente. As padarias tinham capacidade industrial e empregavam muitas pessoas. Depois surgiram as indústrias de biscoito e massas. Tem muitas histórias de grandes indústrias hoje no mercado brasileiro que surgiram de padarias”, contou o historiador.

Pão francês

Almeida conta que o pão branco, com um miolo úmido, revestido por uma casca fina, dourada e levemente crocante, composto por água, farinha de trigo, sal e fermento, e mais conhecido como pão francês – o nome varia conforme a região do país –, é o mais consumido pelos brasileiros. Entre os produtos de panificação, a venda de pão francês corresponde atualmente, segundo a Abip, a 45% do total comercializado nas padarias.

Padaria Suchomel era uma das primeiras padarias de São Bento do Sul

Facebook Comments

You may also like

Sem interessados no edital de Proteção Animal

A Prefeitura destaca ainda que está buscando novas informações e mecanismos para que o edital seja novamente lançado e que estima que com determinados pontos alinhados possa ser bem-sucedida a contratação