Nani “Amo cuidar das pessoas”

Nani “Amo cuidar das pessoas”

- in São Bento do Sul
306
Comentários desativados em Nani “Amo cuidar das pessoas”

Personagem na semana do Portal SBS ONLINE é Claudiana Aparecida Henrique, mais conhecida como Nani Henrique ou a Nani da Center Som. Tem 44 anos é casada com Gilvane Massaneiro, mãe da Thaís do Derik e do Murilo, reside no bairro Serra Alta

Estudou o Ensino Fundamental na escola Dalmir Pedro Cubas e ensino médio no Colégio Roberto Grant. Comecou trabalhar com 16 anos na HM (Hermes Macedo) em 1994, em 1997 atuou na Center Som onde trabalhou por 19 anos. “Foi na Center Som que obtive muito laços amigos e clientes. Trabalhar na Center me trouxe muito conhecimento e muitos clientes que hoje ainda compram compram comigo”, revela Nani Trabalhou ainda na Casa Ambiente na venda de colchões e decoração e um período na Ótica Visual.

Em março de 2019 ela decide trabalhar exclusivamente com a Mary Kay com a venda de cosméticos e maquiagem. “Me encontrei e estou até o momento. Amo cuidar das pessoas… vê-las se sentindo mais bonitas e com a auto estima em Dia. Tenho conquistado números que até então ninguém conseguiu aqui em São Bento e região, ficando dois anos entre as top 20 de vendas no Brasil”, comemora

Diretora de Vendas
Nani atua como consultora e Diretora de vendas, unidade Unanimi. “A minha unidade onde treino as mulheres para alcançarem seu potencial e realizarem seus sonhos!” diz
Para Nani, quando me perguntam o segredo para tantas vendas, ela sempre responde que ama gente. ” Isso faz toda diferença. Não vende, mas ajudar as pessoas comprar”, ensina. “Meu reconhecimento para todas minha clientes e amigas, mas que isto todas fazem parte da minha família”, declara

Favoritos
Nani lembra que quando vendia CDs na Center Som os mais vendidos eram Roberto Carlos,
Amado Batista e Mamonas Assassinas

Facebook Comments

You may also like

CAMPANHA DE DOAÇÃO DE LIVROS PARA ESCOLAS GAÚCHAS É LANÇADA PELA SOCIEDADE LITERÁRIA

As doações serão enviadas à cidade de São Leopoldo, onde as estimativas indicam a perda de mais de 100 mil livros