Samae investe mais de R$ 2 milhões com recursos próprios para benefício da população

Samae investe mais de R$ 2 milhões com recursos próprios para benefício da população

- in São Bento do Sul
118
0

O Samae de São Bento do Sul vem destacando-se cada vez mais pelos investimentos que resultam na qualidade de seus serviços. A obra mais badalada no momento é a implantação da rede de coleta para tratamento de esgoto das sub-bacias 1 e 2 do rio São Bento, estimada em R$ 10 milhões com recursos do Governo Federal a fundo perdido, e que atenderá 2.041 ligações dentre os 44 quilômetros de rede em 126 ruas.

Mas o Samae vem investindo constantemente na infraestrutura para coleta e tratamento de esgoto, tanto que importantes obras, uma concluída e outras iniciadas, estão envolvendo mais de R$ 2,1 milhões em investimentos com recursos próprios do Samae.

ETE Brasília

Importantes investimentos estão sendo realizados na ETE – Estação de Tratamento de Esgoto do bairro Brasília, a ETE mais antiga do município. Para modernizar sua estrutura com o objetivo de amenizar os odores emitidos durante o processo de tratamento do esgoto, parte da estrutura onde ocorria o processo de decantação foi desmanchada para a construção de nova estrutura onde está sendo instalada uma prensa desaguadora.

Contando com investimentos de R$ 474.197,00, a prensa desaguadora irá contribuir diretamente na redução do tempo de tratamento do esgoto e consequentemente na redução considerável dos odores emitidos no processo, que são sentidos na Avenida dos Imigrantes e proximidades.

Com o início das operações da prensa desaguadora o material que antes passava pelos tanques de decantação para evaporação da água até que se formasse a massa seca que é descartada no aterro sanitário, uma grande economia será proporcionada ao Samae.

Conforme Vinícius Luiz Sartori, engenheiro sanitarista e ambiental, com a instalação da prensa desaguadora, haverá uma melhor operacionalização do sistema de secagem do lodo somado a uma melhor logística na questão do transporte do material seco, já que hoje o SAMAE necessita fazer o transporte para desague em outros equipamentos localizados na ETE Cruzeiro e ETE Serra Alta para posterior destinação no Aterro Sanitário. “Com a instalação da nova prensa, todo processo será realizado dentro da própria ETE Brasília, fazendo com que o custo com o transporte deste material diminua consideravelmente e proporcionando segurança operacional ao SAMAE”, explicou.

Outro trabalho do Samae na estrutura foi a implantação de um sistema que injeta produtos químicos específicos no poço de entrada da ETE. O objetivo desta aplicação é reduzir ainda mais os odores do esgoto que passarão por tratamento na estrutura.

Conforme o presidente do Samae Fridolino Van Den Boom, todo este investimento não é de agora. “Os profissionais da equipe do Samae estão a dois anos trabalhando para melhorar esta ETE. Estamos realizando melhorias apontadas em diversos processos, e isto proporcionará um melhor funcionamento da estação, com melhores resultados e menores custos de operação para o Samae. São investimentos específicos que realmente fazem a diferença”, disse Fridolino, elogiando o conhecimento e trabalho da equipe de profissionais do Samae.

Interligando a rede do Parque Sueli à ETE Cruzeiro

Uma grande obra do Samae já está com a rede implantada. Trata-se da implantação de 4 quilômetros de rede coletora de esgoto que interligará a região do Parque Sueli até a ETE do bairro Cruzeiro, totalizando R$ 850.000,00 em investimentos com recursos próprios do Samae.

Ao entrar em operação a nova rede irá desativar a atual Estação Compacta de Tratamento de Esgoto do Parque Sueli, que atende diretamente 120 residências e diversas indústrias e comércios da região.

Além de contar com um minucioso planejamento, pois a rede será utilizada também para conectar a rede do Alpestre e de todo o bairro Lençol, uma grande economia será gerada para o Samae, pois o custo anual de operação da ETE compacta é de R$ 34 mil, necessários para a energia elétrica e a realização dos testes e análises de esgotos obrigatórios. E ainda R$ 14.000,00 a cada 4 anos necessários para a renovação de licença ambiental, valor correspondente a R$ 3.500,00 por ano. Assim sendo, com a desativação da Estação Compacta do Parque Sueli o Samae estará economizando R$ 37.500,00 ao ano.

Para entrar em operação, só estão faltando a implantação das elevatórias, que já estão em fase de aquisição de equipamentos e instalação, dependendo inclusive de adequações na rede elétrica da região, que ocorrerão já nas próximas semanas.

R$ 1 investido em saneamento = R$ 4 economizados em saúde

O prefeito Magno Bollmann sempre faz questão de fazer esta relação, citando em suas falas que para cada um real investido em saneamento básico se economiza 4 reais com saúde.

Este comparativo foi realizado por especialistas durante o 4º Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública realizado pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa) em abril de 2013. O Comparativo diz que a cada R$ 1 investido pelo governo em saneamento básico, o sistema de saúde economiza R$ 4 no tratamento de doenças causadas pela ausência de tratamento de água e esgoto.

Na prática, o Samae estará promovendo esta economia com a desativação da ETE Compacta do Parque Sueli, pois ao final do processo de tratamento de esgoto, a água que sai é limpa e tratada, mas não totalmente livre de odores, e é justamente esta água que é liberada em um riacho que passa pela estrada Paraná e corta diversas propriedades, onde inclusive há criação de gado.

Também foi verificada neste riacho a presença de contaminação de esgoto de residências, fato este que deverá deixar de ocorrer com a interligação de algumas casas à rede que o Samae deverá implantar posteriormente para conectar residências à rede que levará o esgoto até a ETE do bairro Cruzeiro.

Interligando o Alpestre à ETE Cruzeiro

Já na semana passada outra obra que iniciou foi a implantação da rede coletora de esgoto que interligará todo o loteamento Alpestre, adjacências e um trecho da Estrada Paraná à ETE do bairro Cruzeiro.

Ponto positivo já é que a obra estava prevista para início em janeiro de 2019 e conclusão em julho do mesmo ano. Como os trabalhos de planejamento no Samae foram antecipados, a obra iniciou e agora conta com previsão de conclusão para junho de 2019.

O investimento de R$ 828.000,00 com recursos próprios do Samae também promoverão economia à autarquia, que reduzirá seus custos em R$ 37.500,00 por ano com a desativação da ETE Compacta do Alpestre.

Além de modernizar a rede coletora de esgoto transferindo toda a operação para a ETE do bairro Cruzeiro, que não necessitará de investimentos para tratar este material coletado do Alpestre e do Parque Sueli, a população do Alpestre será diretamente beneficiada, pois não sofrerá mais com os odores emitidos pela estação compacta instalada no final do loteamento.

Quanto à estrutura da estação compacta, tanto do Alpestre quanto do Parque Sueli, o Samae irá desmontá-la e guardá-las para reaproveitamento em outros projetos que poderão vir. “Não perderemos os equipamentos, pois poderão ser reutilizados em outras áreas para projetos futuros do Samae”, comentou Fridolino.

Rede seca já instalada

Nesta quarta-feira (28) o Samae iniciou a implantação de rede seca de coleta de esgoto na rua Frida Weber, no bairro Cruzeiro.

Conforme o diretor técnico do Samae Luiz Sérgio Ferreira, a rua Frida Weber e a rua Edgar Rank, que também receberá rede seca, estão no trecho da ligação da rede que na fase de implantação do Alpestre até a ETE do bairro Cruzeiro, e como estas vias poderão ser atendidas sem necessidade de maiores equipamentos, o Samae já está implantando a rede seca para posterior conexão.

Qualidade que se destaca

Todos os investimentos realizados, somados ao conhecimento técnico e trabalho de toda a equipe do Samae resultam em reconhecimento e proporcionam à população de São Bento do Sul um serviço de alta qualidade e o fornecimento de água que é destaque no estado.

Conforme informações repassadas pelo presidente do Samae, a ARIS – Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento, que analisa e regula as autarquias e empresas de saneamento e fornecimento de água em 197 municípios do estado de Santa Catarina, fiscalizou as análises de água realizadas pelo Samae e relatou que o Samae de São Bento do Sul é o único dos 197 municípios avaliados no estado que está 100% dentro dos padrões exigidos no que se refere a qualidade no tratamento de água de acordo com a legislação nacional.

Facebook Comments

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode querer ler também...

POLÍCIA CIVIL PRENDE TRAFICANTE DA VILA UNIÃO

Por intermédio da DIC -Divisão de Investigação Criminal,