PF cumpre mandados na residência oficial de Carlos Moisés

PF cumpre mandados na residência oficial de Carlos Moisés

- in Santa Catarina
155
0


Residência oficial do governador Carlos Moisés (PSL) e Centro Administrativo do Governo de Santa Catarina estão sendo alvo de operação da PF e PGF desde as primeiras horas da manhã desta quarta (30)

Nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (30), viaturas da Polícia Federal e Procuradoria Geral da República foram visualizadas na Casa D’Agronômica, residência oficial do governador Carlos Moisés (PSL). O objetivo foi o cumprimento de mandados de busca e apreensão solicitados pelo Ministério Público Federal (MPF) e autorizadas pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ).

No total estão sendo cumpridos ao total cinco mandados, não só na Casa D’Agronômica, mas também no Centro Administrativo. Os alvos são o governador e outros dois integrantes do Governo, que ainda não tiveram seus nomes revelados. No total atuam na ação 30 policiais. Quando os policiais chegaram na Casa D’Agronômica, o governador estava no local e foi surpreendido pela ação.

A ação tem ligação com a investigação sobre o desvio de R$ 33 milhões que deveriam ser aplicadas no compra de respiradores hospitalares, porém, os equipamentos não foram entregues. Do valor, apenas R$ 11 milhões foram recuperados através de ação do Gaeco, Ministério Público Estadual.

A investigação iniciou na Justiça Estadual, porém, como apareceram indícios envolvendo o governador e seu nome chegou a ser citado em mensagens entre os envolvidos, o caso subiu para o STJ, culminando com a operação nesta quarta. O cumprimento de mandados na Casa do governador é inédito em Santa Catarina.

SAIBA MAIS SOBRE A OPERAÇÃO

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorizou, a pedido do Ministério Público Federal (MPF), mandados de busca e apreensão contra o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), e outros dois ex-integrantes do governo estadual. As medidas cautelares, determinadas pelo ministro Benedito Gonçalves, estão sendo cumpridas pelo MPF em conjunto com a Polícia Federal nesta quarta-feira (30). O objetivo da operação é subsidiar o inquérito que apura fraudes na compra de respiradores para enfrentamento da pandemia da covid-19 no estado. O contrato sob suspeita movimentou R$ 33 milhões. O caso tramita sob sigilo e, por isso, neste momento, não serão divulgados os nomes dos demais alvos das buscas, bem como a íntegra das peças que compõem o inquérito.

Facebook Comments

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode querer ler também...

Cidasc regulamenta o Queijo de Porco, um embutido tradicional em Santa Catarina

Santa Catarina possui uma ligação muito forte com