Operação Varejo apreende 77 mil maços de cigarro em Santa Catarina

Operação Varejo apreende 77 mil maços de cigarro em Santa Catarina

- in Santa Catarina
88
0

Durante esta quinta-feira, 11, a Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) deflagrou a Operação Varejo II em todo o Estado. A ação, que teve início às 8h da manhã e prosseguiu até às 20h, resultou na apreensão de 77 mil maços de cigarros.
Ao todo, 1.267 policiais foram empenhados. Além disso, foram utilizadas 629 viaturas, sendo 579 automóveis, 48 motocicletas e duas aeronaves. No total, 693 estabelecimentos comerciais foram abordados.

O principal objetivo foi, além de realizar a apreensão de maços de cigarros de origem ilícita, analisar o que foi recolhido em valores reais, estimando o quanto representaria este confisco para a arrecadação de tributos do Estado.
Santa Catarina contabiliza consequentes prejuízos causados pelos cigarros contrabandeados que circulam no Estado. Segundo levantamentos da Secretaria da Fazenda, há uma perda de aproximadamente R$ 7 milhões mensais na arrecadação, que totalizam um montante anual de R$ 84 milhões.

Segundo dados levantados pela PMSC, 48% dos cigarros que circulam são clandestinos, representando R$ 175 milhões não arrecadados. Apesar da repressão dessa ilegalidade, o mercado ilícito de cigarros no Brasil continua a se expandir exponencialmente, impulsionado principalmente, pela significativa diferença de preço entre os produtos. De acordo com levantamentos, 50% dos produtos são contrabandeados do Paraguai, e ainda, 5% são produzidos clandestinamente no Brasil.
Todos os presos e materiais apreendidos foram conduzidos às Delegacias de Polícia Federal das respectivas regiões de Santa Catarina.
CONFIRA OS NÚMEROS FINAIS DA OPERAÇÃO:
• CIGARROS: Foram apreendidos 77 mil maços;
• VALOR DA APREENSÃO: R$ 462.258,00;
• TRIBUTOS FRAUDADOS: R$ 115.564,50;
• DROGAS: Foram apreendidos 32 quilos de maconha e 37 comprimidos de ecstasy;
• ARMAS DE FOGOS: Foram apreendidas quatro armas;
• PRISÕES: Foram presas 100 pessoas.

Facebook Comments

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode querer ler também...

Santa Catarina passa a emitir novo modelo de carteira de identidade Publicado: 14 Outubro 2019 Última Atualização: 14 Outubro 2019 Facebook Twitter LinkedIn COMPARTILHE Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom Quem procurar o Instituto Geral de Perícias (IGP) a partir desta semana já terá a carteira de identidade (RG) emitida em um novo modelo. Os parâmetros do documento atenderão a um decreto federal de 2018, que padroniza as novas cédulas de identidade. A novidade foi anunciada durante uma solenidade no auditório da Secretaria de Segurança Pública, em Florianópolis, na tarde desta segunda-feira, 14. :: MAIS IMAGENS NA GALERIA No novo RG, será possível colocar documentos como Título de Eleitor, CNH, PIS/PASEP, CPF, Carteira de Reservista, Carteiras Funcionais, Carteira de Trabalho e Previdência Social. Para isso, será necessário apresentar documentos originais e oficiais com as informações. Outra novidade é a possibilidade de inclusão do tipo sanguíneo e fator RH, desde que seja apresentado resultado de exame laboratorial ou documento oficial com essa informação. “Santa Catarina mais uma vez se antecipa para levar à população catarinense um serviço melhor e mais completo. É mais um exemplo da agilidade que estamos imprimindo na gestão estadual.O novo RG facilita a vida do cidadão e é isso que queremos. Simplificar a vida de quem vive aqui”, ressalta o governador Carlos Moisés. A nova carteira de identidade também possibilitará que sejam incluídas informações sobre deficiências — com símbolos que constarão no RG — tais como surdez, cegueira ou de ordem psicológica. Também neste caso, é necessário que se apresente atestado ou relatório médico específico com todos os dados do requerente, comprovando que a deficiência seja permanente. De acordo com o perito-geral do IGP, Giovani Eduardo Adriano, Santa Catarina conseguiu se adiantar ao prazo máximo estabelecido pelo decreto federal, que era março de 2020. Ele assegura que a maior quantidade de informações disponível no documento facilitará a vida do cidadão. “É um direito para o cidadão. Ele vai poder incluir uma série de informações na carteira de identidade, o que antes não era possível. No caso de alergias a medicamentos, por exemplo, essa informação poderá estar na carteira e salvar a vida de uma pessoa, no caso de um acidente”, explica Adriano. Nome social A nova carteira de identidade também possibilita a inclusão do nome social para aqueles que assim desejarem. O pr

No novo RG, será possível colocar documentos como Título de Eleitor, CNH, PIS/PASEP, CPF, Carteira de Reservista, Carteiras Funcionais, Carteira de Trabalho e Previdência Social.