Maioria das notificações é por não usar cinto de segurança

Maioria das notificações é por não usar cinto de segurança

- in São Bento do Sul
432
0

Um levantamento feito pela PM de São Bento do Sul mostra que no ano passado 801 condutores foram notificados

A falta do uso de cinto de segurança é a notificação com maior número em São Bento. O levantamento foi feito pelo 23o Batalhão de Polícia Militar, atendendo solicitação do site sbsonline.com.br e do jornal Impresso Liberdade.
No periodo de 2018 foram 801 notificações, seguido de veículo não registrado não licenciado. A lista com maior índice de notificações totalizou 4332 multas.
Valor da Multa Sem Cinto
Além de ser considerada uma infração grave, o valor da multa sem cinto é de R $ 195,23 por passagem sem cinto de segurança, e retenção de documento para uma colocação de cinto de segurança por passageiros.

Notificações PM São Bento do Sul 2017
Deixar o condutor de usar cinto de segurança 801
Conduzir veículo registrado que não esteja licenciado 781
Veículo em mal estado de conservação (Pneu Careca) 759
Conduzir veículo sem docoumento obrigatório 440
Dirigir veículo sem possuir CNH 332
Conduzir veículo com defeito no sistema de luz, lampada queimada 272
Dirigir sem atençãoaos cuidados de segurança 247
Deixar o passageiro de usar cinto de segurança (inclui sem viseira ou oculos de proteção em moto e carona) 243
Permitir posse condução do veíoculo a pessoa sem CNH 239
Dirigir com CNH vencida há mais de 30 dias 218

Multa sem Cinto de Segurança: Pontuação
A falta de cinto de segurança além da multa, resultados na perda de 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

O cinto de segurança é imprescindível para proteger os ocupantes do veículo. É um equipamento simples, fácil de usar e que não traz desconforto. Quando ocorre uma colisão, todos corpos soltos continuam na mesma velocidade do veículo até encontrarem algo que os retenha. Se não estiverem de cinto, as pessoas se chocam umas com as outras ou contra o para-brisa, o volante, o painel do carro. Geralmente as consequências são graves. O primeiro papel do cinto de segurança é impedir que as pessoas se choquem contra as paredes do veículo ou se choquem umas contra as outras.
Usar cinto de segurança diminui o risco de morte em 50%. Essa estatística leva em conta todos os tipos de colisão. A eficácia do cinto varia segundo o tipo de colisão (frontal, lateral, traseira), segundo a velocidade, o tipo de veículo.
Se a pessoa for arremessada para fora do veículo em uma colisão, sua chance de sobreviver é dividida por cinco. Além do impacto da queda, há o risco de ela se chocar contra o meio-fio ou objetos fixos nas laterais da via. Se cair ficar na pista, pode atropelada por veículos.
O cinto é eficaz em colisões leves, que são as mais frequentes. Nesses casos o cinto permite sair ileso do acidente. Cerca de 70% das colisões ocorrem com velocidades inferiores a 50 km/h, quando o cinto de segurança é muitíssimo eficaz. Mesmo em altas velocidades a gravidade dos ferimentos diminui consideravelmente com o uso do cinto. Um estudo europeu que considerou 28 mil acidentes mostrou que não houve óbito em colisões ocorridas com velocidades inferiores a 100 km/h e utilizavam o cinto.
Há inúmeros registros de ocupantes sem cinto que tiveram ferimentos graves ou morreram em colisões em velocidades inferiores a 20km/h.
A força de um impacto de uma colisão a 50 km/h corresponde a 35 vezes o peso da pessoa. Uma pessoa de 70 quilos sofrerá um impacto de 2450 quilos. Uma criança de 30 quilos receberá um impacto de mais de uma tonelada (1050kg). Sem cinto ninguém consegue segurar a multiplicação do peso. É o cinto que faz esse Para lembrar: um choque a 50km/h corresponde a cair de uma altura de mais de 10 metros!
Igualmente submetidos às leis da Física, os passageiros do banco de trás também devem usar o cinto de segurança. Mais: sem usar o cinto, os passageiros do banco de trás ameaçam a segurança de quem está nos bancos da frente. 80% das mortes de pessoas dos bancos da frente são causadas por passageiros sem cinto no banco de trás.
O cinto de segurança reduz em 40% o risco de traumatismo crâneo encefálico (TCE), que são os mais graves. Metade dos mortos em acidentes de trânsito tem esse tipo de lesão.
Os argumentos de que se o veículo pegar fogo ou afundar n’água os ocupantes morreriam não se sustentam. Nessas situações, usando o cinto de segurança as pessoas têm grandes chances de sobreviver, pois irão continuar conscientes e poderão se soltar do cinto.
Usado corretamente, o cinto de segurança protege a vida da mãe e aumenta as chances de sobrevivência do feto. A alça inferior do cinto deve ser apoiada no osso da bacia da mãe.
Algumas pessoas argumentam que correr risco é uma questão de liberdade pessoal. Porém, os custos decorrentes dos acidentes são distribuídos sobre toda sociedade. Além pessoal, a segurança é também uma questão social.
Metade dos brasileiros sofrerá pelo menos um acidente de trânsito na vida. O cinto de segurança é como uma vacina, quem estiver protegido se salvará.

Facebook Comments

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode querer ler também...

PM PRENDE TRAFICANTE EM SÃO BENTO DO SUL

Na tarde deste sábado, 15, uma guarnição da