Imagens mostram mãe e padrasto com mala usada para levar corpo de menina de 3 anos em Indaial

Imagens mostram mãe e padrasto com mala usada para levar corpo de menina de 3 anos em Indaial

- in Santa Catarina
925
Comentários desativados em Imagens mostram mãe e padrasto com mala usada para levar corpo de menina de 3 anos em Indaial

Mãe e padrasto confessaram que mataram a menina de 3 anos e depois, na tentativa de ocultar o crime, colocaram o corpo em uma mala e enterraram nas proximidades da BR-470, em Indaial

Imagens divulgadas pela Polícia Civil nesta quarta-feira (6), mostram a mãe e o padrasto de Isabelle de Freitas, de 3 anos, que estava desaparecida em Indaial, puxando uma mala (assista abaixo), onde o corpo da menina foi levado. A criança, de acordo com a investigação, foi espancada até a morte e enterrada em uma região de mata, próximo ao local onde a família reside.

Mãe e padrasto confessaram que mataram a menina de 3 anos em Indaial Menina desaparecida é encontrada morta em Indaial – Foto: Redes sociais/Reprodução ND

O delegado de Polícia Civil de Indaial, Filipe Martins Alves Pereira, revelou durante uma coletiva de imprensa que, após agredirem brutalmente a criança e perceberem que a menina estava morta, o casal concordou em se livrar do corpo. Foi então que mãe e padrasto usaram uma mala para transportar a criança e enterrá-la nas proximidades da BR-470.

O primeiro vídeo mostra o casal levando a menina morta dentro mala para ser enterrada na mata.

Em outro vídeo, o casal caminha pela rua com a mala e, em determinado momento, abandona o objeto que foi usado para esconder o corpo da menina de 3 anos.

Ainda segundo o delegado, o casal virou suspeito depois que divergências e narrativas controversas começaram a surgir. “Ao longo da tarde ouvimos diversas pessoas e foi noticiado a presença de um suposto veículo cinza que esteve no local e que, em tese, poderia ter sido responsável pelo sumiço dessa criança”.

O veículo mencionado como suspeito trava-se na verdade uma encenação do casal, na tentativa de criar o cenário perfeito de um suposto sequestro. O objetivo, segundo o delegado, era que todos acreditassem que a criança foi sequestrada dentro da própria casa. A polícia comprovou que o carro, na verdade era de aplicativo, e foi contratado pelo padrasto no período da tarde e ninguém entrou no veículo. “Ele ficou por cerca de 5, 6 minutos esperando, cancelaram a corrida”, explicou o delegado.

Martins também revelou que testemunhas ouvidas na quarta-feira disseram que ouviram uma discussão dentro da casa na segunda-feira, dia em que a criança foi morta.

O depoimento

Interrogados pelo delegado, mãe e padrasto confessaram o assassinato da criança durante depoimento prestado junto à Polícia Civil. O casal contou que os atos de violência eram recorrentes e usados como forma de “correção”. Além disso, o padrasto disse que a mãe da criança também teria batido na menina.

“Quando eles perceberam que não tinham mais escapatória, que a policia tinha descoberto e avançado bastante, apesar de uma investigação de menos de 24 horas, o padrasto da criança confessou e disse que teria iniciado as agressões, mas que a mãe também participou”.

“Em determinado momento a criança teria evoluído ao óbito e então eles tiveram a ideia de se livrar do corpo. Eles colocam a criança dentro de uma mala e saem os dois com a criança dentro da mala e levam ela para uma área de mata ali na BR-470, uma área de mata fechada, bem distante e enterram essa criança ali”, complementou o delegado.

Foi o padrasto da menina que indicou o local onde estava o corpo enterrado, que foi encontrado pela Polícia Civil, que acionou, imediatamente, a Polícia Científica para os exames periciais. Uma perícia foi feita no local de crime e também na residência do casal. Lá, diversos vestígios de sangue foram encontrados.

O delegado agora aguarda os laudos periciais da Polícia Científica para determinar a forma como a criança foi morta. A mãe e padrasto tiveram a prisão temporária decretada pelo Poder Judiciário da Comarca de Indaial e foram encaminhados ao Presídio de Blumenau.

Polícia investigava o desaparecimento da menina

Polícia Militar foi acionada e informada que a criança havia desaparecido na segunda-feira (4). Devido à pouca informação sobre o caso, os policiais iniciaram as buscas no local e redondezas, mas não a encontraram.

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar e Voluntários realizaram as buscas pela menina nas proximidades com um cão responsável por ajudar em buscas e resgates, mas nenhum rastro havia sido encontrado.

Ao longo do dia, a Polícia Civil coletou depoimentos do padrasto e mãe da criança, assim como de testemunhas, a fim de entender o suposto desaparecimento que havia sido citado pelos responsáveis da menina.

*Com informações do Portal Alexandre José, parceiro do ND Mais

Facebook Comments

You may also like

Chuva intensa deixa SC em alerta e impacta cidades com queda de barreira e alagamentos

Santa Catarina está em alerta devido ao grande volume de chuva registrado neste final de semana.