Humberto Zanini, o padre flamenguista

Humberto Zanini, o padre flamenguista

- in Personagem da Semana
363
0

Não são só as orações que estão na ponta da língua do padre Antônio Humberto Zanini, o hino do Flamengo, todos os anos em que o time foi campeão, os artilheiros e detalhes sobre as partidas também fazem parte do repertório. Conhecido como o padre flamenguista, Humberto hoje é pároco na paróquia Cristo Rei de Rio Negrinho, mas por onde passa compartilha a certeza que “todo mundo nasce flamenguista”.

O padre que completa 63 anos na próxima quarta-feira (18), um dia após a estreia do Flamengo no Mundial, já sabe o que quer de presente e imagina como vai ser homenageado. Ele quer a vitória do time e deve ganhar lembrancinhas relacionadas ao atual campeão da Taça Libertadores da América. É que 90% dos presentes que recebe estão relacionados ao tema. São canecas, camisetas, toalhas, itens de decoração, tudo devidamente guardado com carinho.

Justamente no dia da final da Libertadores, e no mesmo horário, teve Missa de Crisma na paróquia Cristo Rei. “Durante o primeiro tempo a gente estava na casa paroquial e acompanhamos o jogo com o bispo dom Francisco Carlos Bach. O Flamengo perdia por um a zero, mas eu fui para a Missa com a certeza que seriámos campeões”, conta o padre. Quem conhece o sacerdote sabe que foram difíceis 45 minutos. “Eu deixei um acólito responsável para que de tempos em tempos desse uma olhadinha no celular que ficou na sacristia e me informasse sobre a partida. Quando saiu o primeiro gol, ele me disse ‘empatamos’. E quando ouvi os foguetes, pedi licença para o bispo e informei os fiéis que o Flamengo era campeão”.

Agora, a expectativa é pelo último campeonato que o time disputa neste ano, o Mundial de Clubes. “O Liverpool tem mais time, mas o Flamengo é uma seleção. Vai que sobra uma bola ali na área? O Flamengo joga para a frente e esse é o diferencial. Hoje em dia a maioria dos clubes recua quando marca o primeiro gol”, comenta o sacerdote.

Padre Humberto é daqueles que acompanha cada lance e tem um verdadeiro arquivo em casa. “Eu anoto os gols, salvo os vídeos dos principais lances e vou montando uma tabela. Assim, quando o campeonato chega ao fim tenho todos os detalhes sobre artilharia e outras informações do time”.

O torcedor já foi padre em Itaiópolis, município que também fica no Planalto Norte catarinense. Na cidade, um grupo de apaixonados pelo Flamengo normalmente se encontrava para assistir aos jogos. Em outubro de 2018 foi fundada a Embaixada Fla – Itaiópolis. “Eu estive no dia da fundação e mantemos contato diariamente em um grupo do WhatsApp. Tudo o que tem de informação sobre o time, a gente compartilha ali”, relata.

O Flamengo viajou na tarde de sexta-feira (13) para o Catar, onde acontece o Mundial de Clubes. Apesar da torcida comentar sobre uma possível final contra o Liverpool, os jogadores que em 2019 foram campeões do Carioca, Brasileiro e Libertadores, passaram a semana falando sobre ‘pés no chão’ e com o discurso de respeito aos adversários da semifinal.

Informações apuradas pela imprensa nacional dão conta que o Liverpool também tem se preocupado com as jogadas da equipe brasileira e por isso teria pedido vídeos de jogos do Flamengo. A preocupação do time inglês seria com as entradas de Éverton Ribeiro e de Arrascaeta pelas pontas, além de tentar o contra-ataque e deixar Rodrigo Caio e Pablo Marí no mano a mano com o trio de ataque formado por Roberto Firmino, Mané e Salah.

Entenda como funciona o Mundial de Clube

Além de Flamengo, Liverpool, Al-Sadd e Hienghène Sport, disputam o Mundial o Al Hilal, da Arábia Saudita, campeão da Ásia, o Esperance da Tunísia, campeão africano, e o campeão da Concacaf, o Monterrey do México. Quem passar de Al Sadd e Hienghéne, enfrentará o Monterrey, no sábado 14, por uma das quartas de final. Na outra, um dia antes, o Al Hilal encara o Esperánce. O vencedor enfrentará o Flamengo na semifinal do dia 17, uma terça-feira. A decisão está marcada para o sábado do dia 21, às 14h30.

Facebook Comments

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode querer ler também...

Zuleica Voltolini e seu legado pela educação

Zuleica Voltolini está deixando a Escola São Bento. Foram 25 anos de trabalho pela educação junto ao estabelecimento de ensino. Ela revela o seu passado e seus planos para o futuro. Confira a entrevista completa