Homem é denunciado pelo MP por matar pai e irmã

Homem é denunciado pelo MP por matar pai e irmã

- in São Bento do Sul
4280
0

Osmar Unisesky Junior, 34 anos, suspeito de matar o pai e a irmã em São Bento do Sul, foi denunciado pelo Ministério Público (MP) por duplo homicídio. Ele teria matado a tiros Osmar Unisesky, 61 anos, e Franciele Jelinski, 19 anos, em 18 de setembro deste ano, no Planalto Norte de Santa Catarina. O homem se apresentou a polícia dois dias depois dos assassinatos e permanece preso desde então.

O inquérito policial foi concluído na última semana do mês passado, o documento foi remetido ao MP no dia 28 de setembro. Na semana passada, a Polícia Civil ainda encaminhou ao órgão alguns laudos periciais que estavam pendentes e ficaram concluídos. O suspeito foi denunciado por duplo homicídio qualificado, por motivo torpe e à traição, além de porte ilegal de arma de fogo.

O advogado de defesa do suspeito, César Augusto Godoy, informou que ainda examina a denúncia do MP e irá se pronunciar à imprensa após a finalização desta análise.

“Era um pai que todo mundo gostaria de ter”, diz amigo após morte de pai e filha em São Bento do Sul

Investigação apontou que o crime foi premeditado

De acordo com o delegado Gustavo Muniz Siqueira, responsável pelo caso, mais de dez pessoas foram ouvidas durante a investigação. A Polícia Civil também identificou uma testemunha que presenciou toda a ação de Osmar Junior no dia dos assassinatos, a pessoa se escondeu com medo de também ser morta.

Durante a elaboração do inquérito ficou comprovado que a motivação dos assassinatos foi uma possível partilha de herança com a irmã. A divisão dos bens teria gerado revolta em Osmar Junior e ainda causado desavenças anteriores entre eles, conforme relataram testemunhas ao delegado. A investigação ainda apontou que o crime foi premeditado pelo suspeito.

— Ele pretendia simular um latrocínio (roubo seguido de morte), roubando pertences e levando consigo o aparelho que armazenava as imagens do circuito de monitoramento — esclarece o delegado.

Ainda segundo o delegado, mesmo que Osmar Junior possuísse três armas registradas em casa, ele usou uma arma “fria” no dia do crime e tinha munição extra nos bolsos, confirmando o planejamento do crime e também que pretendia sair impune. A investigação da Polícia Civil ainda apontou que, por causa da reação do pai, Osmar foi obrigado a se distanciar para recarregar a arma, dando para que a irmã acionasse a polícia, impedindo a concretização do planejamento par o crime plano fosse concretizado.

Além disso, com o acionamento da polícia, o suspeito foi obrigado a fugir, deixando o filho de dois anos sozinho em casa. Conforme Siqueira, não há indícios de que o suspeito tenha tido auxilio de outras pessoas. O indiciado está preso na Penitenciária de Itajaí.

Relembre o caso

O crime aconteceu no dia 18 de setembro, por volta das 20 horas, na rua Cezario Marchinhak, bairro Brasília, onde havia uma transportadora e a casa do idoso. O filho teria assassinado Omar, de 61 anos, a tiros na área externa e depois matado Francielle, de 19 anos, dentro do escritório da empresa.

Os disparos contra a irmã teriam sido efetuados do lado de fora, por uma janela, e atingido a vítima na cabeça, enquanto ela ligava para a Polícia Militar para pedir ajuda. Segundo a PM, no momento da ligação, um operador da unidade teria ouvido disparos pelo telefone. Com base em imagens de câmeras de seguranças, o delegado havia pedido a prisão preventiva do suspeito.

Fonte Jornal A Noticia

Facebook Comments

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode querer ler também...

POLÍCIA CIVIL PRENDE TRAFICANTE DA VILA UNIÃO

Por intermédio da DIC -Divisão de Investigação Criminal,