Dona Dalva reconhecimento pelos ensinamentos na educação com valores

Dona Dalva reconhecimento pelos ensinamentos na educação com valores

- in Santa Catarina
659
Comentários desativados em Dona Dalva reconhecimento pelos ensinamentos na educação com valores

Foi no dia 27 de julho de 2019 que o Portal SBS ONLINE , registrou e contou um pouco da vida da Dona Dalva que anos atuou como professora em nosso município. Hoje pela manhã a triste noticia de seu falecimento aos 81 anos. O corpo é velado na Capela Leier, seguirá as 16h para o Crematório Catarinense.

Confira a entrevista realizada em 2019

Durante décadas foi professora da rede de ensino. Começou a lecionar aos 14 anos e também foi atendente nas casas Pernambucanas

São Bento do Sul  

Dalva de Oliveira Hofmann ou a Professora Dalva é natural de Joinville, filha de Henrique Rodrigues de Oliveira e Odete Hreisennou de Oliveira.

SBS ONLINE ) Como foi sua infância ?

Dalva) Tive uma infância muito boa, éramos vários irmãos e brincávamos, em especial com minha irmã, de boneca, bola, amarelinha, de roda e muitos brinquedos da época, que talvez hoje as crianças nem conheçam mais. Minha adolescência foi marcada por muitas amizades, algumas que conservo até os dias de hoje. Estudei no colégio São José, na época tocado pelas irmãs da Divina Providência, fazíamos ginástica. Participei também de grupos de dança e peças teatrais, bailes e festas, tive uma adolescência com muita alegria e talvez para os dias de hoje ingenuidade.

SBS ONLINE) E o primeiro emprego? 

Dalva) Pois sempre fui muito independente. O meu primeiro emprego foi de atendente nas antigas casas Pernambucanas, uma loja que existia em São Bento do Sul, pois queria ter meu próprio dinheiro.

SBS ONLINE) Quando começou a lecionar ?

Dalva) Tempo depois, logo aos 14 anos, eu ainda era estudante, fui convidada para lecionar, na escola isolada do bairro Serra Alta. Eu ainda era uma menina e já tinha responsabilidade de orientar e ensinar a outras crianças, mas acho que a minha vocação estava despertada a partir de lá, pois nunca pensei em ser outra coisa se não professora. Após esta escola passou a se chamar Frederico Frendrich, onde migrei de vez para a docência, descobrindo que não poderia mais fazer outras coisas, pois aquela era definitivamente a minha vida. Ensinava não apenas crianças, mas fui professora também de adultos, no antigo Mobral, que na época equivaleria ao Eja de hoje.

Com o tempo e o crescimento do bairro Serra Alta, foi criada uma nova  escola, a professor  João Ropelato, onde fui auxiliar de direção. Saí de lá para assumir o mesmo cargo no colégio São Bento, local onde fiquei até a minha aposentadoria.

SBS ONLINE) No passado a educação era mais rígida?

Dalva) Com toda a certeza, havia muito mais respeito dos alunos em relação à figura do professor. Pode se dizer que havia até um certo temor e as famílias não interferiam na educação dada pelos professores, que se configuravam em verdadeiras autoridades nas suas salas de aula. Com a educação atual, não tenho mais muito contato, mas vejo pelos jornais, que muita coisa mudou, a falta de valores e respeito para com os professores, o descuido para com as escolas, enfim vivemos um outro tempo talvez não tivéssemos antigamente uma grande quantidade de conteúdos, mas o que os alunos apreendiam era fixado com temas feitos em casa e levados a capricho, para que os professores corrigissem os cadernos. Sinto muita saudade da época em que lecionava, o contato com outros colegas professores e professoras, com os alunos, os desfiles de sete de setembro em que realmente marchavam, homenagens cívicas muito bonitas, homenagens do Dia das Mães e do Professor, fazíamos muita coisa com o pouco recurso da época.

Foram 28 anos dedicados a educação, muitas vezes dando aulas de manhã, a tarde e a noite. Nestes anos foram realmente muitos alunos e alunas, eram turmas grandes,  eu realmente perdi a conta do número mas na atualidade, cada vez que saio para um lugar, encontro alguém que vem me dizer que foi meu aluno, minha aluna, e isso me alegra muito, pois sinto que cumpri bem a minha missão. Alguns dizem que eu era rígida, mas agradecem a orientação e os conselhos da época.

SBS ONLINE) E a formação da família.

Dalva) Sou casada há 53 anos com Donaldo Hofmann. Filhos Carla Hofmann (advogada e professora universitária). Carlos Henrique Hofmann (advogado e professor universitário) Adriano Hofmann (advogado e hoje atua na área comercial) Maicon Bruno Hofmann (Engenheiro Eletrecista – hoje atuando profissionalmente na cidade do Porto – Portugal) Flávio Schwebner – (um sobrinho que perdeu os pais muito cedo, e desde lá é meu filho de coração, hoje no 4 º ano de medicina na ufsc)

SBS ONLINE) Suas considerações finais

Dalva) Tenho a dizer que sou muito feliz e realizada, formei e preparei muitas crianças e jovens, que hoje vejo profissionais de sucesso e cidadãos de respeito. Gente que criou família e construiu também São Bento do Sul, empresários, politicos, professores,  profissionais liberais, que dão sua contribuição para a construção da nossa cidade, que é minha cidade de adoção e de coração.

Criei e me orgulho muito da minha família, filhos e netos, que são meu orgulho e ao lado do meu esposo Donaldo Hofmann, peço sempre  que deus permita possamos continuar apoiando e amparando.

Facebook Comments

You may also like

Colisão entre carro e viatura da Polícia Militar deixa três feridos na BR-163

Dois soldados da PM foram hospitalizados . Acidente ocorreu na região Oeste de SC