Cerca de 400 líderes da Igreja Católica definem ações para 2020 na Diocese de Joinville

Cerca de 400 líderes da Igreja Católica definem ações para 2020 na Diocese de Joinville

- in Joinville
404
0

Cerca de 400 líderes da Igreja Católica definem ações para 2020 na Diocese de Joinville

Uma das principais mudanças aprovadas durante a 44 ª Assembleia Diocesana de Pastoral que aconteceu entre os dias 20 e 21 de setembro, na Cúria e reuniu cerca de 400 representantes das 65 paróquias da Diocese de Joinville foi com relação a realização da tradicional Romaria do Trabalhador.

A partir de 2020 o evento vai se chamar “Celebração Diocesana de São José Operário e 18ª Romaria do Trabalhador”. Romeiros e romeiras vão se encontrar na paróquia Santa Luzia, no bairro Paranaguamirim e seguirão em caminha por aproximadamente 15 quilômetros até o santuário Senhor Bom Jesus de Araquari. A caminhada será durante a madruga. Quando os fiéis chegarem na igreja serão recepcionados e depois participarão da Missa. O objetivo é que até o meio-dia as pessoas estejam liberadas para que possam aproveitar o feriado de 1º de maio em comemorações que são realizadas por empresas.

Além desta decisão o grupo formado por fiéis, padres, diáconos, coordenadores de pastorais e movimentos e o bispo Dom Francisco Carlos Bach participou de uma palestra sobre a Pastoral Urbana e igrejas que encontraram vocações próprias. A formação foi conduzida pelo padre Vânio da Silva que é reitor do Seminário Teológico de Florianópolis. Ele citou exemplos de igrejas que fazem um atendimento diferenciado. É o caso do Centro de Espiritualidade Urbana que fica no Centro Buenos Aires, na Argentina, e tem como principal objetivo atender as necessidades espirituais de quem transita e trabalha na região.

“Por lá são quatro áreas prioritárias de atendimento: primeiro o sacramento com foco na eucaristia e na confissão. Depois, o acompanhamento de realidades familiares com orientação para casais em segunda união, atendimento de pessoas que perderam entes queridos, pais que adotaram filhos, entre outros. Em terceiro lugar é feito o acompanhamento laboral já que o Centro de Espiritualidade Urbana está inserido em local de trabalho de muitas pessoas. E por fim, orientação para um caminho de vida na fé”, contou o sacerdote.

A Pastoral Urbana que é muito mais que uma nova pastoral, caracteriza-se por ser um estilo de agir, tem sido discutida principalmente por causa do processo de urbanização das cidades. Em 1970, 70% da população brasileira morava na área rural, trinta anos depois, o número inverteu e 70% vive na cidade. Além de ser uma mudança na maneira de trabalhar, estudar e se relacionar isso reflete diretamente também na maneira como as pessoas escolhem qual igreja frequentar, seja pela proximidade de casa, seja por se identificar com determinada paróquia. Santa Catarina, por exemplo, 84,7 % dos moradores vivem em área urbana. São dez dioceses, porém três delas concentram o maior número de moradores, Joinville, Florianópolis e Blumenau.

Assim como o padre palestrante, Dom Francisco Carlos Bach, bispo da Diocese de Joinville falou sobre a necessidade da igreja ser uma igreja de acolhida, um dos pedidos do Conselho Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). “Não basta ouvir o Bom Pastor, é necessário integrar-se e fazer parte solidariamente ao rebanho. Nós assumimos a responsabilidade do pastoreio da Diocese de Joinville. A nossa missão é sair a procura das ovelhas que deixaram a igreja”, afirmou o bispo.

No segundo dia do encontro, após a oração inicial, o padre Everton James Klapouch que é coordenador diocesano de pastoral fez uma apresentação das atividades que foram desenvolvidas envolvendo as 65 paróquias e mais de 400 comunidades dos 18 municípios que pertencem à Diocese de Joinville. Ao todo, foram mais de 500 ações evangelizadoras entre os anos de 2017 e 2019. Foram citadas por exemplo, as ordenações sacerdotais e de diáconos, realização da Romaria do Trabalhador, Festival Nacional de Dança Sacra, caminhada em Defesa da Vida, concentrações diocesanas de Pentecostes, Pastoral do Dízimo, Ministros Auxiliares da Comunidade e Apostolado da Oração. Além de atividades voltadas para a juventude e a implantação do Tribunal Eclesiástico.

Os responsáveis pelas quatro pastorais eleitas anteriormente como prioritárias na Diocese de Joinville fizeram um balanço das ações de evangelização que foram desenvolvidas e apresentaram objetivos a serem colocados em prática a partir de 2020.

Dom Francisco apresentou um projeto em três etapas para fortalecer os conselhos de pastorais, que consiste em: 1) formação técnica, 2) administração e economia, 3) espiritualidade. O objetivo é que a capacitação inicie no próximo ano, e se necessário, se estenda até 2021.

O bispo também aproveitou para repassar algumas orientações para a diocese, como por exemplo, mostrar as convicções da Igreja Católica, sem incitar ódio, deboche ou menosprezo, usar o Santíssimo nos retiros apenas nos momentos de adoração e definiu algumas determinações para a realização do Cerco de Jericó.

A partir dos apontamentos levantados durante o encontro, em 2020 será defino um novo plano de ação para os próximos anos. O documento vai passar por aprovação da Assembleia que volta a se reunir daqui um ano.

Fotos: Eduardo Schmitz

Facebook Comments

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode querer ler também...

Trimania sorteio 19/01

1º Sorteio R$ 10.000,00 060057 Murilo Prissinotto Rocha