Ceasa de Curitiba teve 35% de área consumida em um dos pavilhões

Ceasa de Curitiba teve 35% de área consumida em um dos pavilhões

- in São Bento do Sul
390
Comentários desativados em Ceasa de Curitiba teve 35% de área consumida em um dos pavilhões

Estado garante recursos para reconstrução de pavilhão da Ceasa de Curitiba após incêndio

Muitos estabelecimentos de São Bento do Sul e região buscam os produtos do Ceasa em Curitiba para revender, não vai ocorrer problemas com a distribuição 

Prejuízos financeiros estão sendo estimados por perito, que deve concluir o levantamento até o início da próxima semana. Governo também avalia a oferta de linhas de crédito facilitadas para comerciantes afetados, os quais já foram remanejados dentro da estrutura da Central de Abastecimento.

Após um incêndio que danificou cerca de 35% de um dos oito pavilhões da Central de Abastecimento (Ceasa) de Curitiba na noite de quinta-feira (6), o Governo do Estado já iniciou o processo para recuperação imediata do espaço e suporte aos comerciantes afetados. O anúncio foi feito pelo presidente das Centrais de Abastecimento do Paraná, Eder Bublitz, nesta sexta-feira (7), após reunião com o chefe da Casa Civil, João Carlos Ortega, para definição de um plano de trabalho emergencial.

Apesar das perdas, a Ceasa está funcionando normalmente e não vai haver nenhum tipo de desabastecimento ou aumento de preços em função desse acidente, garante o presidente da Ceasa Paraná.

Com o controle da situação emergencial, a Ceasa Paraná contratou um perito especializado para avaliação completa de todo o prejuízo financeiro relacionado à estrutura do pavilhão. A expectativa, segundo Bublitz, é de que até a próxima semana já exista uma estimativa de custos para as obras de reforma, que serão custeadas com recursos do tesouro estadual.

“O governador nos cobrou celeridade no processo e garantiu que o poder executivo fará tudo o que estiver ao seu alcance para a plena recuperação da Ceasa Curitiba o mais rápido possível”, disse o presidente da Ceasa Paraná. “Assim que houver a definição de orçamento da parte da engenharia civil, passaremos para a contratação da empresa responsável pela execução do serviço e a nossa expectativa é de que até o fim do ano a estrutura volte a funcionar em sua totalidade, respeitando os trâmites do processo”.

APOIO AOS COMERCIANTES  Além dos danos estruturais, 20 dos 423 comerciantes que atuam na Ceasa Curitiba também tiveram algum tipo de prejuízo financeiro, o que equivale a 4,7% dos permissionários. Para estas pessoas, o Governo já está estudando a oferta de linhas de crédito personalizadas com juros reduzidos por meio de instituições financeiras estaduais.

“São recursos que serão disponibilizados mediante contratações bancárias para cobrir prejuízos que os comerciantes tiveram com maquinário, ferramentas, estoque de alimentos e até mesmo para o capital de giro”, detalhou Bublitz.

Todos os permissionários afetados foram imediatamente realocados dentro da estrutura interna da Ceasa Curitiba, de forma adaptada, e estão trabalhando normalmente. A medida é importante para mitigar novos prejuízos decorrentes da paralisação, permitindo que os comerciantes continuem a ter uma fonte de renda para se recuperarem, ao mesmo tempo em que garante o pleno abastecimento da Região Metropolitana de Curitiba.

INVESTIGAÇÃO – Paralelamente ao trabalho de reconstrução, a Polícia Civil já instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias que causaram o incêndio, em um trabalho técnico que também envolve a perícia especializada da Polícia Científica.

O pavilhão que foi atingido tem 20 boxes que vendem frutas e verduras. Cerca de 30 homens e nove caminhões do Corpo de Bombeiros foram mobilizados para conter o fogo.

Facebook Comments

You may also like

Acidente bairro 25 de Julho

A guarnição do ASU-501 foi acionada via COBOM