Agência do INSS de São Bento concedeu 33 mil aposentadorias em cinco anos

Agência do INSS de São Bento concedeu 33 mil aposentadorias em cinco anos

- in São Bento do Sul
580
0

Levantamento realizado a pedido do site sbsonline.com.br mostra a quantidade de benefícios concedidos em cinco anos em apenas uma só agência

São Bento do Sul

Apenas a Agência de São Bento do Sul concedeu em cinco anos o benefício para 33022 pessoas, residentes em São Bento do Sul e em Rio Negrinho, bem como Campo Alegre que também faz parte da estrutura. Foram 15078 benefícios concedidos para homens e 17944 benefícios para mulheres.

Com esses números somados aos benefícios já concedidos mostra o quanto o governo deve arrecadar para colocar em dia a aposentadorias, sem contar os benefícios concedidos no chamado auxilio doença e os benefícios de pessoas que dependem de auxilio de um salario mínimo e que se enquadram nos programas sociais.

Se fizermos a conta que a média dos novos aposentados for de um salario mínimo, mês somente os cinco anos terão uma despesa de 32 milhões a cada mês.

Sexo.

Ano concessão Masculino Feminino Total

2014 3.020 3.893 6.913

2015 2.967 3.716 6.683

2016 3.168 3.796 6.964

2017 2.969 3.237 6.206

2018 2.954 3.302 6.256

Total 15.078 17.944 33.022

Principais pontos da Reforma da Previdência

Com a entrega do texto oficial da reforma, abemos quais os principais pontos que podem mudar na aposentadoria, caso a proposta seja aprovada pelo congresso:

Idade mínima para aposentadoria

65 homem

62 mulher

Tempo de contribuição mínimo para se aposentar

20 anos homem e mulher

Tempo de Contribuição para receber aposentadoria integral

40 anos de contribuição

Aposentadoria do Professor

30 anos de contribuição homem e mulher

60 anos de idade homem e mulher

Aposentadoria Rural

60 anos homem e mulher

20 anos de contribuição

Será obrigatória a contribuição

Novas Regras Aposentadoria 2019: O que mudou?

Mudanças

Com o início um novo governo, várias propostas de mudanças na aposentadoria estão sendo analisadas com o objetivo de promover alterações nos benefícios tanto do INSS, quando dos servidores públicos.

Embora o governo já tenha alterado diversos benefícios através do Novo pente fino INSS 2019, a reforma da previdência propriamente dita ainda está sendo discutida no Congresso Nacional.

Desta forma, a aposentadoria dos Servidores Públicos Federais também sofrerá grandes mudanças.

O novo governo de Jair Bolsonaro tem se posicionado de forma muito contundente sobre a Reforma da Previdência, alegando que as contas públicas não vão melhorar sem este procedimento.

Então o que vemos atualmente são várias propostas de dificultar ainda mais o acesso aos benefícios previdenciários no Brasil, pois segundo o governo, a Previdência é responsável por um enorme déficit no orçamento da união.

Na prática, isso quer dizer que existiram grandes mudanças nas regras da aposentadoria a partir de 2019, então devemos ficar atentos sobre o que vai mudar.

O que já é Certo sobre as Mudanças na Aposentadoria

O presidente Jair Bolsonaro já entregou ao Congresso Nacional a sua proposta de Reforma da Previdência 2019.

A proposta do governo sobre as mudanças na previdência são bastante polêmicas.

Uma delas é a instituição de uma idade mínima para Aposentadoria.

Atualmente, para se Aposentar por Tempo de Contribuição, a lei não exige uma idade mínima.

O que é exigido neste caso é o tempo mínimo de contribuição de 35 anos para os homens e 30 para as mulheres, com a incidência do Fator Previdenciário.

O Fator previdenciário é uma equação que diminui o valor da renda na Aposentadoria conforme a idade do cidadão: quando mais novo, menor o valor.

Com a aprovação de uma idade mínima para qualquer tipo de aposentadoria, é bem provável que o fator previdenciário deixe de existir.

Então um ponto definido nas novas regras da aposentadoria 2019 é a instituição de uma idade mínima para todos, que segundo as propostas pode ser de 65 anos para os homens e 62 para as mulheres.

Mas o objetivo do fator 85/95 era ir subindo a pontuação, conforme o passar dos anos. Veja como ele iria ficar:

18/06/2015 a 30/12/2018: 85 para mulheres / 95 para homens

31/12/2018 a 30/12/2020: 86 para mulheres / 96 para homens (índice atual)

31/12/2020 a 30/12/2022: 87 para mulheres / 97 para homens

31/12/2022 a 30/12/2024: 88 para mulheres / 98 para homens

31/12/2024 a 30/12/2026: 89 para mulheres / 99 para homens

A partir de 31/12/2026: 90 para mulheres / 100 para homens

Muitas pessoas estavam utilizando essa fórmula para aposentadoria, considerando que a mesma era bastante vantajosa para o trabalhador.

A partir de agora vigora a fórmula 86/96

Como você percebeu na tabela acima, no período de 31/12/2018 a 30/12/2020 a fórmula ficou 86 para mulheres / 96 para homens.

Ou seja, atualmente, enquanto nenhuma mudança foi confirmada, esta é a fórmula em vigor.

Nesse sentido, é importante você saber que para aposentar com essa fórmula, a mulher deverá ter o mínimo de 30 anos de contribuição, e o homem 35.

Assim, para chegar aos 86/96 pontos, deve ser somada a idade ao tempo de contribuição. Quanto mais tempo de contribuição tiver, melhor.

De acordo a proposta de reforma da previdência, essa fórmula será mantida apenas como uma regra de transição, conforme explicamos aqui.

Mudanças na Aposentadoria 2019: Quem Fica de Fora?

Em momentos de Reforma da Previdência é natural que as pessoas fiquem muito assustadas, sobretudo aquelas que estão muito próximas de se aposentar. medo é que uma alteração repentina nas leis obrigue o cidadão a trabalhar vários anos a mais, bem como, ter uma renda bem menor do que o planejado. Infelizmente, em momentos assim nada é cem por cento de certeza. O Congresso Nacional tem poderes para fazer diversas alterações nas regras da aposentadoria e afetar qualquer um que ainda não se aposentou. Mas no direito brasileiro existe um costume muito forte de se respeitar algo chamado direito adquirido.

Direito adquirido no caso da Aposentadoria é quando a pessoa já está aposentada ou então já tem todos os requisitos para se aposentar, mas ainda não o fez.

Não seria nada razoável mudar as regras da aposentadoria para uma pessoa que já possui o tempo de contribuição necessário para o benefício, mas que não se aposentou ainda por estar visando um valor maior.

Logicamente que esse trabalhador vai ter o direito de se aposentar pelas regras antigas, e nenhuma mudança poderá atingi-lo. Essa é a regra básica no Direito Previdenciário.

Em outras reformas da Previdência, o direito adquirido sempre foi respeitado, não existindo motivo para duvidar que nesta nova reforma isso mudaria.

Regras de Transição da Aposentadoria 2019

Outro ponto importante é sobre as regras de transição para a aposentadoria.

Normalmente, essas regras valem para aquelas pessoas que estão próximas do momento de se aposentar.

Ou seja, quando existem mudanças nos requisitos da aposentadoria, tem uma preocupação natural com aqueles que estão próximos de atingir o benefício, para que eles não sejam muito prejudicados pelas mudanças.

O indivíduo passou a vida inteira contribuindo e se planejando para a aposentadoria, não seria nada justo mudar totalmente as regras em um momento próximo a obtenção do benefício.

É por este motivo que serve a regra de transição nas alterações legislativas previdenciárias, para tornar mais suave as duras mudanças nas leis, não penalizando quem se planejou com antecedência.

Reforma da Previdência 2019

A reforma da previdência 2019 que vai trazer fortes alterações nas aposentadorias está em fase de discussão ultimamente.

Facebook Comments

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode querer ler também...

TRAFICANTE PRESO COM COCAÍNA E MACONHA

Nessa segunda-feira, 18, a Polícia Militar de São