São Bento do Sul terá mais um grande empreendimento

São Bento do Sul terá mais um grande empreendimento

- in São Bento do Sul
15214
2

O ano de 2018 está sendo um período de recuperação para a economia em todo o país. E em São Bento do Sul as conversas para instalação de novos empreendimentos na cidade vem animando a administração municipal, que vê a geração de empregos e fortalecimento da economia local prestes a registrar ótimos números.

Depois das confirmações e trabalhos de instalação das empresas Havan, Cerâmica Beatriz e da multinacional do setor de plásticos e borracha para atender o mercado automotivo Cooper Standard, que juntas irão gerar inicialmente 250 empregos diretos ainda em 2018, agora foi confirmada a vinda do Grupo Pereira, com investimentos na construção de uma loja do Fort Atacadista.

O secretário de Desenvolvimento Econômico Adelino Denk já estava acompanhando os trâmites internos na Prefeitura quanto às consultas para futuras instalações do Fort Atacadista no município há algum tempo, e com a confirmação da empresa, segundo o secretário, o momento é de comemorarmos. “Este é mais um importante empreendimento para o fortalecimento da economia de São Bento do Sul. E um dos principias aspectos é que trata de mais uma empresa que fortalece a diversificação econômica que vem se consolidando no município”, disse Adelino.

O prefeito Magno Bollmann comemora a vinda de mais uma grande empresa para o município. “Este ano está sendo de grandes novidades para o crescimento de nosso município. São Bento do Sul está de portas abertas para investimentos. Nosso povo é trabalhador, temos um polo educacional de destaque, e o anúncio de novas empresas como o Fort Atacadista só vem agregar ainda mais para o desenvolvimento da cidade”, disse o prefeito.

Em conversa com Cristiano Abrahão Caron, gerente de galerias comerciais do Grupo Pereira, este informou que a loja do Fort Atacadista em São Bento do Sul irá gerar inicialmente 200 empregos diretos e 200 empregos indiretos. O empreendimento estará localizado na rua Jorge Zipperer, no centro de São Bento do Sul em uma área com aproximadamente 20.000 m², e com uma área que será construída com aproximadamente 9.000m², totalizando cerca de R$ 25 milhões em investimentos.

Segundo Cristiano, o público poderá encontrar grande variedade de produtos de qualidade com preços altamente competitivos na loja de São Bento do Sul, e o início das obras dependerá tão somente das aprovações dos projetos. Está no planejamento do Grupo a inauguração desta Loja para 2019.

Grupo Pereira

O Grupo Pereira, responsável pelas marcas Fort Atacadista, Supermercados Comper e Atacado Bate Forte iniciou suas atividades em Itajaí no ano de 1972 e atua em diversos canais de distribuição, além de ser o 6º maior grupo de distribuição de alimentos do Brasil. Atualmente, o grupo conta com mais de 66 lojas distribuídas pelos estados de Santa Catarina, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Goiás e Distrito Federal, gerando mais de 13.000 empregos, com faturamento acima de 7 bilhões de reais no último ano.

Em Santa Catarina o Fort Atacadista possui 19 lojas em funcionamento e 5 lojas sendo construídas simultaneamente nos municípios e Tubarão, Criciúma, Barra Velha, Joinville e Campeche/Florianópolis.

Segundo Cristiano Abrahão Caron, o Grupo Pereira afirmou que optou por trazer o empreendimento em São Bento do Sul visto que a cidade está em constante desenvolvimento e os estudos apontam necessidade de qualidade de produtos e preço competitivo para o município.

Facebook Comments

2 Comments

  1. Paulo A Accorsi de Godoy

    São Bento do Sul terá mais um grande empreendimento

    Contribuirá para a inovação ?

    São Bento do Sul – Acisbs se reúne com prefeito para tratar dos processos de abertura de empresas O tema acima relacionado com Finanças Municipais de São Bento do Sul tem relação com o inadiável aperfeiçoamento regulamentário tributário municipal em São Bento do Sul .E Inovações. Há uma relação que precisa ser analisada e efetivada tempestivamente pela prefeitura de São Bento do Sul boletim informativo do CREA SC de 23 07 comenta sobre o 6 º Enit: Encontro e inovação e tecnologia de 18 a 20.09 em São Bento do Sul SC:
    “ Durante os três dias do evento, vários painéis de debates e palestras irão acontecer, principalmente com vistas à indústria 4.0, que utiliza cada vez menos mão-de-obra. De acordo com a CNI – Confederação Nacional da Indústria, 48% das grandes empresas brasileiras planejam vultosos investimentos nesta vertente da indústria nos próximos anos”.
    A referência à “ Industria 4.0” sugere o encaminhamento premente da Área de Tributação da Prefeitura de São Bento do Sul, pesquisar, formular e implementar os instrumentos legais e administrativos para o apoio a vinda de “ industrias 4.0” e na incorporação de seus conceitos por um número significativo de indústrias locais.
    A manufatura hibrida implicará na obsolescência acelerada de empresas que geram incomodidades, sendo, portanto, necessário adotar o princípio e diretrizes quanto a adoção do princípio do poluidor-pagador entre outras medidas que contribuam para a fixação, engajamento e atração de profissionais necessários ao ambiente inovador pretendido. (Lei nº 14.675, de 13 de abril de 2009 institui o Código Estadual do Meio Ambiente (SC) art. 4º XV – a adoção do princípio do poluidor-pagador …).
    == Orgãos do governo ( estadual) já tratam da questão :
    “Nosso problema é a pobreza”, diz secretário da Fazenda de SC “ 30 07 2018 NSC Total Loetz
    Virá algo para outras áreas? ( áreas da Economia de Santa Catarina)
    Eli – Minha equipe está estudando algo para apoiar a indústria 4.0 e outros setores. Até o final do ano, o texto deve ficar pronto.
    https://www.nsctotal.com.br/colunistas/loetz/nosso-problema-e-a-pobreza-diz-secretario-da-fazenda-de-sc
    ==
    Em outros municípios catarinenses há avanços nessa questão : P. exemplo no texto DESAFIOS PARA INDÚSTRIA 4.0 NO BRASIL Confederação Nacional da Indústria – CNI 2016 APLICAÇÕES DE INDÚSTRIA 4.0 – EXEMPLO :
    O LABelectron, Laboratório-Fábrica vinculado à Fundação CERTI (Florianópolis – SC) desenvolveu o Sistema de Gerenciamento de Informações de Chão de Fábrica, sistema de arquitetura de software estruturada em 4 módulos (Módulo Serviço de chão de fábrica, Módulo Serviço da Qualidade, Módulo Fábrica Visual e Módulo Mensageiro) implementados para a completa rastreabilidade de processos produtivos através de funcionalidades e controles de manufaturahttp://www.pedbrasil.org.br/ped/artigos/079F8BA3E7E5281B.0%20no%20Brasil.pdf
    Pois qual o valor de todo o nosso patrimônio cultural, se a experiência não mais o vincula a nós?” Walter Benjamin
    ==
    Haverá novamente imensas filas no SINE ? Não poderiam ser melhor organizadas?

    https://www.reclameaqui.com.br/empresa/fort-atacadista/

  2. Paulo A Accorsi de Godoy

    No site da empresa consta : “ Atualmente estamos com 28 lojas distribuídas pelos estados de Santa Catarina, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. ( http://www.fortatacadista.com.br/institucional/ )
    A organização tem objetivos de longo prazo ( https://www.valor.com.br/empresas/4684459/grupo-pereira-de-varejo-e-atacado-preve-crescer-alem-do-setor-no-ano ) buscando aumentar sua participação no mercado.
    Associações, sindicatos, núcleos de educação de qualidade com iniciativa dos governos estadual e federal, aperfeiçoamento de mão de obra por entidades diversas são alguns dos motivos que contribuíram para a decisão da empresa em instalar-se em São Bento do Sul
    Mas ainda há muitas demandas a serem executadas pela prefeitura. Cito duas :
    1) “ Durante o encontro, a Acisbs formalizou um documento ao prefeito, trazendo referências as leis federais e reforçando a importância dos novos negócios para São Bento do Sul “ Para tanto , avalio que desde já a municipalidade deve atentar para adequar as leis municipais para atrair empresas inovadoras, e industrias 4.0 inclusive de pequeno porte ( paginas 19 e 21 do documento http://www.pedbrasil.org.br/ped/artigos/079F8BA3E7E5281B.0%20no%20Brasil.pdf

    2) “Apoiamos os novos negócios, mas com a burocracia atual, as empresas estão enfrentando dificuldades” ressalta o presidente.” A empresa busca a prefeitura para adequar-se a IFRS 15.Terá tempestivamente as informações necessárias ?
    “Mas grande parte do temor está no comportamento dos fiscos estaduais e municipais. Como reagirão os Estados e prefeituras quando virem as empresas divulgando que receitas que eram atribuídas a venda de produtos agora são contabilizadas como referente a prestação de serviços, e vice-versa “ ( site da NTW)

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode querer ler também...

CORRIDAS DO BEM É NESTE DOMINGO

Acontece neste domingo, 23 de setembro, a etapa