Fábia Mengarda Belarmino faz balanço das ações desenvolvidas

Fábia Mengarda Belarmino faz balanço das ações desenvolvidas

- in São Bento do Sul
180
0

Na sessão de segunda-feira (19), a pedido do vereador Jairson Sabino (PSDB), a secretária Municipal de Assistência Social, Fábia Mengarda Belarmino fez uso da tribuna popular para demonstrar as ações desenvolvidas pela pasta. O prefeito em exercício, Márcio Dreveck acompanhou à explanação da secretária junto a mesa diretora.

A Secretaria Municipal de Assistência Social – SEMAS, é o órgão público responsável pela gestão da política de assistência social. “Todos os esforços visam à consolidação da assistência social no Município, conforme as diretrizes do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), garantem apoio a você, à família. Enfim, a comunidade no enfrentamento de dificuldades, por meio de serviços, benefícios, programas e projetos. O atendimento é feito por profissionais como assistentes sociais, psicólogos, educadores sociais, advogados e pedagogo social, que procuram entender a situação de cada pessoa e atuam para melhorar as condições de vida, do relacionamento, e de inclusão social”, explicou Fábia.

De acordo com Belarmino, qualquer cidadão que esteja passando por momentos de dificuldades ou situações que podem estar relacionados a pobreza, a falta de acesso a serviços públicos, a problemas familiares e discriminação, podem procurar à secretaria. Fábia, falou ainda, dos direitos dos usuários do SUAS. “Ser atendido e ser informado dos seus direitos e como garanti-los; ser informado e orientado sobre os serviços, programas, projetos e benéficos da Assistência Social; ter os seus direitos reconhecidos; ter acesso a serviços e programas de Assistência social de qualidade”, argumentou.

A secretária explicou do objetivo da proteção básica, que é prevenir situações de risco por meio do desenvolvimento de potencialidades, e aquisições e o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários. Belarmino comentou sobre o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, que é um instrumento que identifica e caracteriza as famílias de baixa renda, permitindo assim, que o governo conheça melhor a realidade socioeconômica dessa população. “Nele são registradas informações como: características da residência, identificação de cada pessoa, escolaridade, situação de trabalho e renda, entre outras”, revelou.

Fábia relatou ainda, dos serviços que são desenvolvidos nos CRAS – Centro de Referência de Assistência Familiar. “PAIF – Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família; SCFV – Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos; Cadastramento do Bolsa Família; CadUnico; Oficinas; Palestras e Hortas Comunitárias”, relatou.

Fábia Mengarda Belarmino, encerrando sua apresentação, falou sobre os objetivos do serviço de proteção ao adolescente, em cumprimento de medidas socioeducativas de Liberdade Assistida e prestação de serviço a Comunidade. “Realizar acompanhamento social a adolescentes durante o cumprimento de medida à Comunidade e sua inserção em outros serviços e programas socioassistenciais e de políticas públicas setoriais. Contribuir para o estabelecimento da autoconfiança e a capacidade de reflexão sobre as possibilidades de construção de autonomias. Possibilitar acessos e oportunidades para a ampliação do universo informacional e cultural, e o desenvolvimento de habilidades e competências”, enfatizou.

Após a explanação, os vereadores fizeram alguns questionamentos à secretária. Dentre eles, sobre o pagamento de horas extras e de sobreavisos concedidos a alguns funcionários da pasta. “Partindo do princípio da Economicidade, não é mais eficaz fazer a contratação de profissionais para suprir essa demanda? As assistentes sociais tiveram sua jornada de trabalho reduzidas, com amparo em Lei, ‘por se tratar de uma atividade estafante’, e mesmo assim trabalham a mais?”, indagou o vereador Jairson Sabino (PSDB). Em contraponto, Fábia Mengarda Belarmino, respondeu que é feito um escalonamento das profissionais, e que a secretaria é enxuta em relação aos gastos. Na mesma linha de Sabino, o vereador Jaime Ferreira de Lima, questionou do efetivo da secretaria, especificamente em relação as assistentes sociais. “O nosso maior receio, é não prejudicar a qualidade da prestação do serviço. As horas extras são restritas? Eu acho que é um ponto pacífico para a gente poder informar a população. Nós não podemos deixar a fadiga profissional tomar conta dessa parte, fazendo que a qualidade o serviço prestado seja prejudicado”, indagou Jaime. Respondendo o questionamento do parlamentar, Belarmino afirmou: “A qualidade do serviço prestado não é prejudicada. Todos profissionais são comprometidos e, se eu falasse o contrário, estaria mentindo.”

Facebook Comments

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode querer ler também...

Samae está com inscrições abertas para concurso público

Nesta semana iniciou o período de inscrições para