“Eles praticamente renasceram”, diz filha de casal que ficou 36 horas na mata após acidente na Serra Dona Francisca

“Eles praticamente renasceram”, diz filha de casal que ficou 36 horas na mata após acidente na Serra Dona Francisca

- in Joinville
1306
0

O Sol nesta segunda-feira (8) ainda não havia aparecido quando um pequeno grupo de busca saiu do bairro Jarivatuba, em Joinville, e seguiu até a Serra Dona Francisca. Na rodovia, a esperança era de localizar rastros que indicassem o paradeiro de Maria Aparecida Borges de Oliveira, 53 anos, e Vilmar de Oliveira, 57. Os dois saíram de um sítio em Campo Alegre, às 22 horas de sábado (6), para retornar para casa, na zona Sul joinvilense.

O regresso não se completou. Perto do km 17 da rodovia, a Hilux do casal começou a oscilar na parte traseira, o motorista não conseguiu controlar a direção e caiu em uma ribanceira de aproximadamente 300 metros. Por causa da queda, a cabine da caminhonete ficou completamente destruída. Os dois permaneceram na mata por 36 horas, sem comer ou beber água, dormindo embaixo do automóvel para evitar sofrer com as chuvas e o frio durante a noite.

— Ela (Maria Aparecida) contou que o carro caiu de frente, deu uma “bicada”. Depois, eles foram rolando o morro, capotando até embaixo. A mãe disse que viu tudo, o pai não. Acho que ele fechou o olho porque não queria ver, sabe? Ela disse que viu árvore descendo, vidro quebrando — relata a operadora de caixa Queli de Oliveira, 33 anos, filha do casal.

A narrativa de Queli poderia ter um fim trágico se não fosse a sensibilidade dela e dos irmãos. A certeza do desaparecimento começou a se concretizar quando o homem e a mulher não apareceram para o almoço de domingo, comportamento não habitual do casal. Inicialmente, a família suspeitava que pudessem ter sofrido um assalto ou sequestro. Queli, o irmão e a cunhada iniciaram as buscas e refizeram o trajeto dos pais.

Resgate de casal que ficou 36 horas na mata após acidente
Os filhos localizaram os pais próximo ao km 17. Carro despencou em uma ribanceira de cerca de 300 metros

Ao chegarem à altura do km 17, pararam em uma curva onde localizaram uma marca de freada, que terminava perto de uma ribanceira. Assim, os irmãos ficaram à beira do morro e começaram a chamar pelos pais. Aos poucos, a voz enfraquecida de Vilmar começou a ser ouvida. De murmúrio se transformou em gritos, na tentativa de facilitar o resgate. Os familiares acionaram a polícia e os bombeiros.

Como o local era de difícil acesso, o helicóptero Águia da PM fez a retirada das vítimas de dentro da mata. Elas foram encaminhadas para atendimento no Hospital Municipal São José. Assim que enxergou os pais com vida, Queli afirma que ocorreu “um milagre”.

— Eu acredito, porque esse foi um milagre. Praticamente eles renasceram e ninguém acredita que eles conseguiram sair daquele carro com vida — completa.

Estado de saúde é estável

A agonia da família foi grande no decorrer das 36 horas porque os pais não têm o hábito de desligar o smartphone ou sair sem avisar. Além disso, o trajeto é conhecido do casal, que visita o sítio da família, em Campo Alegre, de duas a três vezes por semana. Conforme a filha, eles nunca haviam vivenciado um acidente desta gravidade.

Fonte A Notícia

Facebook Comments

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode querer ler também...