Ecoponto é instalado no Alpestre e depredado logo em seguida

Ecoponto é instalado no Alpestre e depredado logo em seguida

- in São Bento do Sul
516
0

Um fato ocorrido durante a tarde do último dia 4 no Loteamento Alpestre chamou a atenção da equipe do Samae e até mesmo de alguns moradores do bairro.

A Equipe do Samae esteve no local instalando a estrutura de um Ecoponto para a comunidade do bairro, estrutura esta padrão, com uma espécie de contêiner adaptado para receber materiais recicláveis como papelão, pilhas e baterias, eletrônicos, óleo de cozinha, metais, vidros, plásticos, garrafas pets, e embalagens longa vida. Ao concluir a instalação da estrutura, a equipe se retirou e, em cinco minutos um grupo de crianças e jovens começou literalmente a atacar a estrutura, conforme relatos de moradores.

As crianças utilizando-se de ripas começaram a bater nas paredes para danificar as chapas metálicas, subiram no telhado, e riscaram as paredes com objetos que danificaram a pintura das chapas.

Segundo o analista de saneamento do Samae que esteve na tarde desta quarta-feira no local, Marco Rodrigo Redlich, é uma pena que alguns integrantes da comunidade hajam desta forma. “O que nos preocupa agora é se manteremos o Ecoponto neste local ou se instalaremos ele em outro local do bairro”, disse Marco.

O problema é que a estrutura de mais de R$ 9 mil reais poderá sofrer mais danos no local onde está instalada. O local foi determinado por tratar-se de uma área onde os moradores vem depositando lixo e entulhos de forma inapropriada, e o Ecoponto poderia contribuir para a conscientização da comunidade e uma valorização daquela região. Mas a ação de depredação preocupou, pois o Ecoponto também sofreu tentativa de arrombamento.

Falta Educação em casa

A moradora Viviane da Cruz elogiou a iniciativa do Samae ao implantar um Ecoponto no Alpestre. “A ideia é boa. O caminhão do lixo reciclável passa na terça-feira, mas às vezes não dá tempo de deixar o lixo para levar. Agora poderemos deixar aqui nesse Ecoponto”, disse Viviane.

Sobre a depredação ocorrida minutos após a instalação do Ecoponto, Viviane disse que “eu tenho meu filho de 9 anos, ele também brinca, mas eu sempre oriento para não fazer o que as outras crianças estão fazendo. Ele vê o que os maiorzinhos estão fazendo e vai querer fazer também, então a gente fica de olho e educa. O mais importante é a educação dos pais em casa. Já vi crianças quebrarem o telhado do ponto de ônibus na frente dos pais, e nem chamaram a atenção. O exemplo vem de casa”, disse Viviane ao desaprovar a depredação ocorrida no Ecoponto.

A senhora Maria Tereza da Cruz, também moradora do Alpestre, disse que achou ótima a ideia de instalar um Ecoponto ali. “Achei uma coisa ótima instalar esse Ecoponto, mas a turma não cuida. Foi só virar as costas e o caminhão sair que encheu de piazada aqui batendo na estrutura e subindo em cima. Olha, é uma falta de educação que só”, disse. “Nós precisamos dessa estrutura aqui. Olha só o lixão nessa barroca!”, finalizou dona Maria, referindo-se ao lixo jogado no terreno atrás do Ecoponto.

Agora o Samae estará verificando se manterá o Ecoponto no local ou se a estrutura será transferida para outra área.

Facebook Comments

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode querer ler também...

PM captura foragido na Praça Central

Na manhã de ontem na Praça Getulio Vargas