Acusado de matar pai e irmã se apresenta à polícia

Acusado de matar pai e irmã se apresenta à polícia

- in São Bento do Sul
7221
0

O advogado Osmar Unisesky Júnior, de 34 anos, acusado de ter matado o próprio pai e a meia-irmã em São Bento do Sul, Norte catarinense, apresentou-se à Polícia Civil na tarde desta quinta-feira (20), informou o delegado responsável pelo caso, Gustavo Muniz. O homem permaneceu calado durante o interrogatório policial.

Os homicídios ocorreram na noite de terça (18) na empresa da família. As vítimas foram mortas a tiros. Osmar Unisesky e Franciele Jelinksy estavam no local quando um homem entrou e atirou no idoso. A jovem chegou a ligar para a polícia, mas foi morta enquanto pedia socorro.

Na quarta (19), a Polícia Civil pediu a prisão preventiva do suspeito. O delegado informou que o documento não havia chegado até 16h30 desta quinta. “Está aqui, está aguardando só sair a ordem [da prisão preventiva] para ser cumprida, assinar o mandado de prisão e ser recolhido”, afirmou Muniz.

O delegado disse também que o suspeito queria se apresentar antes que a prisão dele fosse decretada, por isso foi à delegacia.

Testemunhas

A mulher do suspeito está com depoimento marcado para a tarde desta quinta. A polícia investiga se ela teve envolvimento no crime. Muniz já ouviu outra testemunha do caso, que segundo ele não estava presente na cena, mas conhece o advogado apontado como o autor do crime.

Ainda de acordo com o delegado, Osmar e a mulher também podem responder por abandono de incapaz, já que no momento do crime o filho deles, de 3 anos, ficou sozinho em casa, trancado.

As vítimas foram veladas lado a lado numa capela de São Bento do Sul na quarta.

Motivação

Muniz disse que a suspeita é que os assassinatos tenham sido premeditados e motivados por uma disputa por divisão de herança. Segundo a Polícia Militar, os pais do advogado estavam em meio a um processo judicial de divórcio e a família enfrentava vários conflitos causados pela divisão de bens com a jovem, de 19 anos, reconhecida recentemente pelo pai, de 61.

Segundo parentes, Franciele começou a procurar o pai aos 12 anos. Um exame de DNA confirmou a paternidade de Osmar e, desde então, eles mantinham uma relação próxima.

Câmeras de segurança

Imagens de câmera de segurança do escritório mostram o momento em que o atirador entra no pátio da empresa da família, às 21h14. Cerca de três minutos depois, ele aparece nas câmeras indo embora com a arma na mão.

“A suspeita é que ele tenha comprado uma arma especificamente para o caso. Usou um revólver, para forjar um roubo. Ele teria também a intenção de extrair as imagens das câmeras de segurança, mas não contava com a irmã ligando para a polícia”, disse Muniz.

Na casa do suspeito, localizada ao lado da empresa, policiais apreenderam armas e munição que eram de posse legal da família. O delegado, porém, acredita que nenhuma delas tenha sido usada nos assassinatos. As informações são do G1 SC.

Facebook Comments

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode querer ler também...

Estado deve garantir acompanhamento especializado para alunos deficientes auditivos

A 1ª Câmara de Direito Público do TJ